Sobre a doença do meu gatinho e a reserva de emergência.

Oi Gente!

Eu não tenho filhos. 

Tenho um gatinho cinza chamado Marvin, que eu adotei e que há 3 anos é meu amigo e o mais próximo de um filho que eu já tive.

Oi, eu sou o Marvin!

Quando eu digo que tenho um gato, muita gente torce o nariz e me diz que prefere cachorro. Tudo bem! eu também amo cachorros, mas costumo dizer que existem 2 tipos de pessoas no mundo: as que amam gatos e as que nunca tiveram um!

Sim, porque eles são criaturinhas dóceis e amáveis, mas o são com quem querem! e ponto! Vai dizer que você não tem vontade de ser assim também, ser legal só com quem quer e a hora que quer? Não precisar engolir os "sapos" que muitas vezes temos que engolir?

Bom, um dia eu cheguei em casa e o Marvin estava vomitando. A principio achei que fosse só aquela famosa bola de pelos que toda mãe de gato tá acostumada, mas o negocio foi ficando pior e eu fiquei apavorada... Na manhã seguinte lá estávamos no veterinário.

Resultado: O Marvin ficou internado com crise renal.

E o que tudo isso tem a ver com o propósito do BLOG?

Tem a ver com a reserva de emergência.

Explico:

Desde então foram muitas lágrimas... E muito dinheiro... Sim, porque quando você compra ou adota um bichinho, tem que saber que ele pode ficar doente e que pode dar bastante despesa. Por favor, esteja ciente disso ANTES, para depois não abandona-lo com a desculpa de que não teve condições financeiras para cuidar. 😠

Tá, mas e a reserva de emergência?

Geralmente os especialistas em finanças sugerem que você guarde o equivalente a 6 meses dos seus gastos mensais para, obviamente, uma emergência! rsrs

                                                          Olha esse vídeo do me poupe


Graças a Deus eu tenho essa reserva de emergência e pude usá-la com meu filho-gato.

Se você ainda não tem uma reserva de emergência, sugiro que comece agora!

Nos próximos posts eu vou te ajudar!

Beijos 💋

You Might Also Like

1 comentários

Minhas Páginas

Subscribe